Eu gosto de você como uma criança. Inocente e intensamente, mas eu gosto mais de mim. Já deixei minha vida para trás muitas vezes por causa de amores sem rumo. Agora eu preciso achar o meu caminho e seguir, em frente é pra onde eu vou.

Sorrisol. (via sorrisol)

Eu acredito em Deus. Eu acredito que beijar arranca sorrisos. Eu acredito que risadas curam dores. Eu acredito que abraços confortam. Eu acredito que há dias melhores. Eu acredito que também há dias piores. Eu acredito que existe choro de tristeza. Eu acredito que assim como existe choro entristecido, existe o choro feliz, da felicidade. Eu acredito que dormir faz bem. Eu acredito em milagres. Eu acredito em anjos. Eu acredito que pessoas podem ser anjos. Eu também acredito que pessoas podem ser demoníacas. Eu acredito em dias pós outros. Eu acredito que cafuné é o melhor carinho para carência. Eu acredito que o ato de andar de mãos dadas selam dois destinos. Eu acredito que mordidas são formas de carinho. Eu acredito em sonhos. Eu acredito que sonhos podem se tornarem pesadelos. Eu acredito que acreditar é uma maneira de atrair positividade. Eu acredito que a escuridão é o mal uso da Fé. Eu acredito que a chuva lava a alma. Eu acredito que a água purifica um ser. Eu acredito que amizade é uma dádiva. Eu acredito que o amor tanto cura como destrói. Eu acredito que cada um tem sua vida e determina suas escolhas, para o bem ou para o mal. Eu acredito que cada um opta um jeito para acreditar ou desacreditar, por fim, eu acredito que cada pessoa determina o seu modo de sobrevivência, sendo o melhor ou o pior.

A Escritora de Bar.   (via florindo-me)

Tenho medo de decepcionar as pessoas, de magoá-las, de fazê-las cansarem de mim. Só queria que elas também tivessem esse medo.

Tati Bernardi.   (via florindo-me)

Quando tudo for pedra…
Atire a primeira flor.

Autor Desconhecido.  (via poemado)

— Filho, acorda! Já são seis e meia da manhã. Anda!
— Mãe…
— O que foi? Por que não acordou ainda? Vou ter que ir aí te tirar da cama?
— Deixa eu faltar? Por favor…
— Ué, faltar por que? Não está doente, nem com braço ou perna quebrada. Não vejo motivos.
— E precisa estar doente ou com a perna quebrada pra ter preguiça?
— Preguiça? Então você quer faltar por preguiça? Espero que não seja isso o que eu ouvi.
— É sim. Preguiça de encarar a realidade, de encarar as pessoas, de ter que sorrir em meio a uma multidão que mal sabe o que se passa dentro de ti. E precisa estar doente por fora pra se sentir a pessoa mais cansada do mundo por dentro? É preguiça sim, de ter que aturar dezenas de pessoas fingindo que se importam, e outras fingindo que você não está ali. É preguiça sim, mãe… De encarar essa vida vazia, que só me faz cansar e voltar pra casa com a ideia de que nada valeu a pena, de que tudo foi igual, e de que se eu soubesse que tudo se repetiria de novo, eu teria gravado um DVD e passado o dia assistindo.

João Pedro Bueno.
(via alentador)

theme by wistica